Artigos

O Caminho da LongeVIDAde

Publicado em outubro 19, 2015 | , , , , , | Deixe um comentário

Não é preciso muito esforço para prolongar a expectativa de vida. Quinze minutos diários de caminhada já ajudam, mas o segredo é manter a rotina.

Já sabemos o “porquê” – praticar atividade física regularmente serve para tornar a vida mais longa e agradável. Agora, dois estudos coordenados por pesquisadores do Instituto Nacional do Câncer dos Estados Unidos dimensionaram “quanto”. Eles revelam em que medida exercícios podem aumentar a expectativa de vida e nos tornar mais saudáveis.

Idosos 2

A OMS recomenda no mínimo 150 minutos de exercícios moderados por semana.”

Os efeitos ocorrem mesmo com práticas em doses mínimas, como 15 minutos diários de caminhada em ritmo leve. Durante 14 anos, a prática de atividades físicas de 630 mil homens e mulheres com mais de 40 anos foi acompanhada por especialistas. Aqueles que se exercitavam, mesmo se abaixo do recomendado pela Organização Mundial de Saúde (OMS), aumentavam sua expectativa de vida em 1,8 ano na comparação com os totalmente sedentários. Os mais dedicados, que conseguiam praticar pouco mais de uma hora de atividades físicas diariamente, ganharam mais 4,5 anos em suas vidas. Para aqueles com mais de 65 anos, segundo a OMS, a prática constante de atividades físicas traz um adicional: a redução do declínio das faculdades mentais.

A OMS aconselha que se gastem no mínimo 150 minutos em atividades físicas de intensidade moderada ou 75 minutos de atividade intensa a cada semana – nada que exija muito esforço, mesmo dos mais preguiçosos. “O resultado pode convencer pessoas inativas que até atividades físicas modestas trazem benefícios à saúde, mesmo que não resultem em perda de peso”, afirmam os pesquisadores da Divisão de Epidemiologia e Genética do Instituto Nacional do Câncer dos Estados Unidos, responsáveis pelo trabalho.

Apesar dos benefícios, o exercício não faz parte da vida da maioria dos brasileiros idosos, uma população que, na estimativa do IBGE, dobrará nos próximos 20 anos, saltando de 24 milhões (12% da população) para 47 milhões (21%). Apenas 22% dos brasileiros com mais de 65 anos praticam a quantidade ideal de exercícios por semana, de acordo com uma pesquisa do Ministério da Saúde. Aos 89 anos, Maria José prova quanto a prática contínua de exercícios é importante para o envelhecimento saudável. “Desde nova jogava tênis, fazia ginástica, corria”, diz, enquanto sobe com facilidade as escadas da academia onde se matriculou há oito anos para aulas de hidroginástica. A piscina fica no 1º andar e a sala de aparelhos no 2º. “Minha neta me incentivou a fazer musculação, mas eu pensava na escada e desanimava. Um dia resolvi enfrentar a subida ao 2º andar e não parei mais”, afirma. O fortalecimento muscular e os treinamentos de equilíbrio e coordenação dão segurança à aposentada, que mantém autonomia rara para alguém de sua faixa etária. Além de atividades rotineiras como ir ao supermercado e pagar as contas, Maria José vai ao teatro, viaja sozinha para visitar os filhos e participa de excursões internacionais. “Minha vida é muito ativa graças aos exercícios”, diz.

Fonte na íntegra: http://epoca.globo.com/vida/noticia/2015/09/o-caminho-para-viver-mais.html