Artigos

MUSCULAÇÃO

Publicado em abril 11, 2017 | | Deixe um comentário

Tradicionalmente conhecida como Musculação, o Treinamento de Força (TF) é hoje uma das modalidades mais praticadas nas academias.

Sua prática requer pré-requisitos importantes e por não dizer fundamentais para um desempenho ótimo nessa modalidade de treinamento, tais como:

  • Aprender a técnica correta de execução dos exercícios;
  • Ter bons níveis de flexibilidade;
  • Fazer um período de preparação adequado para depois iniciar o TF.

Para a prática do TF é necessário o uso correto de alguns métodos e sistemas de treinamento, sendo assim, o TF é uma modalidade desportiva que requer SISTEMATIZAÇÃO. Ou seja, existem períodos específicos que devem ser programados tanto para o aumento das cargas de treinamento como para a diminuição. Além da modificação de outras variáveis como: número de séries e repetições, intervalo de recuperação, velocidade de execução, bem como a alteração na sequência dos exercícios e a substituição de alguns exercícios por outros mais complexos.

Nesse sentido, na prática cotidiana do TF torna-se imprescindível o controle de todas as variáveis que compõe o programa de treinamento acima elencadas. Caso contrário, o risco de se desenvolver lesões, overtraining (excesso de treinamento) é muito grande.

Essas variações são fundamentais para propiciar ao organismo períodos específicos e programados de RECUPERAÇÃO, para que o mesmo possa repor as reservas energéticas, depletadas durante os treinamentos, e daí em diante reiniciar um novo ciclo de treinamento que visa a obtenção de “alta” performance em um determinado período/época.

Alguns autores denominam esse planejamento de PERIODIZAÇÃO. Que significa em poucas palavras: Planejar Resultados.

Alguns estudos concluíram que os programas de TF que não são PERIODIZADOS, não alcançam os mesmos níveis de performance, como também podem conduzir o praticante para um estado de overtraining, com sérios problemas de saúde provenientes dos excessos, por exemplo:

  • Insônia;
  • Irritabilidade acima do normal;
  • Diminuição da libido;
  • Perda de massa muscular (Sarcopenia);
  • Cansaço evidente;
  • Lesões recorrentes;
  • Queda na performance;
  • Indisposição para os treinamentos;
  • Alterações hormonais;
  • Perda de massa óssea (Osteopenia).

Vale ressaltar que esse controle das cargas de treinamento e demais variáveis não é exclusivo para atletas, é fundamental para todo e qualquer praticante de musculação.

RESUMINDO: de tempos em tempos é necessário aumentar as cargas de treinamento, diminuí-las, modificar o programa de treinamento, aumentar e/ou diminuir o número de séries e repetições, bem como fazer as avaliações necessárias para que tenhamos dados mais consistentes para dar seguimento ao programa de treinamento.

“NADA ACONTECE POR ACASO”.

A orientação de Profissionais experientes e responsáveis é fundamental para um desempenho ótimo na prática do TF, bem como em todas as atividades físicas.

Mais informações acesse meu canal no YouTube: Jeferson Porto.

Bons treinos.
Prof. Jeferson Porto